Apple Watch pode detectar diabetes com 85% de precisão

Apple Watch pode detectar diabetes com 85% de precisão


De acordo com o último estudo clínico do fundador do aplicativo Cardiogram, Brandon Ballinger, o Apple Watch pode detectar o diabetes em 85% dos casos de pessoas com a doença.

Este estudo, usou dados de 14.000 usuários do Apple Watch e conseguiu detectar que 462 deles tinham diabetes por meio do sensor de frequência cardíaca do Watch, o mesmo sensor utilizados em outros Smartwatches como o Android Wear.

Em 2015, o  Framingham Heart Study mostrou que a frequência e variação cardíaca em repouso previam significativamente incidentes como diabetes e a hipertensão arterial. Isso levou ao interesse de usar o sensor de frequência cardíaca do relógio para ver se ele poderia detectar com precisão um paciente diabético.

Só nos Estados Unidos, mais de 100 milhões de adultos vivem com a doença e 1 em cada 4 deles não são diagnosticados.

A detecção precoce também pode ajudar a reduzir as doenças relacionadas ao diabetes antes de do surgimento de complicações. Embora tenha havido outras tentativas de construir um hardware para a detecção dos níveis de açúcar no sangue, este é o primeiro estudo em larga escala que mostra que os sensores de frequência cardíaca comuns – quando emparelhados a um algoritmo baseado na inteligência artificial – podem identificar o diabetes sem a construção de um hardware adicional.

E o que vem depois desse estudo? Ballinger e seu colega no estudo, Johnson Hsieh, mencionaram que poderiam estar examinando uma série de doenças para detectar através de sensores cardíacos, possivelmente até o diabetes gestacional. Hsieh também adverte que usuários testados, já tinham previamente o diagnóstico da doença e que antes de confiar no SmartWatch estavam com o devido acompanhamento, controle e tratamento médico.

Mas os resultados são promissores. Teremos que esperar e ver o que vem por aí com o Apple Watch e outros monitores de fitness para auxílio para o diagnóstico e auxílio no tratamento do diabetes e de outras doenças.

 

Referência: TechCrunch

Photo by shinya on Foter.com / CC BY-ND

+ Não há comentários

Deixe o seu